Notícias sobre a atriz Anna Kendrick
Anna Kendrick Brasil
Melhor fonte sobre a atriz Anna Kendrick

Anna Kendrick é mais que “Scrappy Little Nobody”

Ela foi indicada ao Oscar e agora se tornou escritora.

Atriz e nativa de Portland, Anna Kendrick está lançando o livro “Scrappy Little Nodody”, não é um livro de memorias, é mais como uma coleção de (levemente) editado e (levemente) conectado a ensaios sobre seu duro trabalho até chega a Broadway ainda criança, sua ida para Hollywood, e bastidores, incluindo seus pensamentos de beijar Chris Pine no set de Caminhos da Floresta. Há também algumas coisas sobre moda e reflexão sobe homens e sexo.

A responsável pela edição da Touchstone fez poucas mudanças, Kendrick disse, e incentivou alguns cortes, tais como a história sobre um professor que ela amava no Deering High. “Muito para minha consternação, minha editora era como ‘Essa história é chata e não vai a lugar nenhum’. Para mim, foi a mais encantadora história”. (Isso envolve sussurrando “Kosovo” que dará para recordar uma sugestão, e nós tínhamos que concorda que não chegaríamos a lugar nenhum).

Com o evento já esgotado, Anna Kendrick estará na Books-a-Million em Portland, dia 23 de novembro, e ela disse estar animada porque é onde ela tinha o costume de fazer suas compras de natal, voltando a quando era um limite. Ela pode ter sido nomeada ao Oscar, mas ela nós chamou cedo para essa entrevista, essa ‘Mainer’ não foi totalmente para Hollywood. Essa entrevista foi editada e condensada.

 

Muitas atrizes divertidas tiveram seus livros entre os mais vendidos nos últimos anos – Tiny Fey (“Bossypants”), Amy Poehler (“Yes Please”) e Mindy Kaling publicou dois de memórias, “Is Everyone Haging Out Without Me?” em 2011 e “Why not me?” em 2015. Todas as atrizes de comédia agora se sentem na obrigação de escrever um livro?

A diferença entre eu e Mindy Kaling é que ela cria, escreve e participa de seu próprio programa de televisão e o isso na verdade serve para a maioria dessas mulheres – Amy, Tina e Lena. Então eu não senti muito pressão em tentar competir com elas. Porque havia parte do meu cérebro que dizia “Eu não sou escritora, e eu não tenho que me preocupar sobre isso”. Mas a outra parte do cérebro ficava como “Você deve fazer isso o mais decente, e você mesma tem que escrever cada frase”. Por outro lado, eu sempre vou me sentir culpada.

Você escreveu cada palavra?

Eu estava tão paranoica de ser desmascarada por não ser uma verdadeira escritora.  Teve uma ou outra coisa que minha editora reescreveu. E que me fez meu estômago doer, porque eu não conseguia escrever ele. Eu também não escrevi os capítulos porque eu sou realmente ruim com isso. Eu me sinto que tenho que falar sobre isso.  Ao contrário dessas mulheres que lançam livros brilhantemente, eu não sou escritora.

Você chegou a mostrar alguma coisa para suas amigas comediantes que também são escritoras?

Não. Porque eu sou bem estranho em controlar. Eu ficava como, “Oh, talvez eu devesse mostrar isso a algum amigo que é talentoso e engraçado”. Mas eu era como “Você não pode mostrar isso para as pessoas que são talentosas e engraçadas, porque não está terminado e o que vão pensar sobre isso?” Mas na hora que realmente terminei já era. Então meu plano falhou.

Tem muita linguagem sem corte nesse livro, incluindo assunto como sexy, especificamente sobre o direito das mulheres ao prazer. Como sua família respondeu? Eles já leram isso?

Eu enviei para eles. Eu envie ao meu irmão uma copia quando e tive que escrever algumas páginas sobre meninos.

Como eles reagiram?

Eu apenas fiz um “x” em tudo. E escreve “Vá para qualquer página”.

E quanto ao namorado que você perdeu a virgindade, que tenta te deixar envergonhada por estar tão entusiasmada com sexo? (Ele diz a ela: “Você não tem que ser assim, pronta e disposta. Eu não vou falar que nós não estaríamos fazendo sexo, é apenas que nem sempre você deve tomar a frente”).

Eu penso que isso provavelmente é um subproduto da cultura masculina e feminina. Eu não acho que esse cara chegou a essa conclusão sobre como eu deveria me comportar. Ele pensava que era influenciável pela maneira que cresceu e foi exposto. Era mais complicado que “homens tentando fazer meninas se sentirem ruins por causa do sexo”.

Você encontra com muita contundência a terra. Verdade? Tem algo relacionada a você ser do Maine?

Seria impossível dizer se tem algo relacionado com o Maine ou não, porque você só tem uma infância. Eu acho que está relacionado com o que você se identifica. Eu sempre tenho flashes de pessoas verídicas de todos os lugares, desde a minha infância, e o que eles pensariam de qualquer tipo de comportamento diva, e eu sou como “Você tem que se manter no controle, cara. É como voltar para a casa no jantar de natal, sempre vai ter um primo para colocá-lo em uma  headlock. Isso sempre será como você pensa de si mesmo. Eu não consigo me imaginar em uma mundo onde eu deixe ir isso e acho que estou quente. Porque eu estive comigo.

Seu irmão Mike que teoricamente quer colocá-la em uma headlock?

Ele definitivamente é a voz na minha cabeça antes de ir a um talk show, dizendo “Não seja uma idiota”.

O Contador” que você é co-estrela de Bem Affleck, ainda está em cartaz. Qual será seu próximo trabalho agora?

Eu o fiz recentemente. Eu tenho para gravar “Pitch Perfect 3” por enquanto. As filmagens começaram em janeiro.

Conte-me sobre o que você fazia (e via) nos teatros em Portland antes de você ser famosa.

Honestamente, é era tão desfocada. Eu estive em uma milhão de produções. Acho que fiz shows no Lyric Theatre e em lugares menores, e em Brunswick no Maine State Music Garden. Eu tive algumas experiências formativas assistindo “Waiting for Godot”, “A Doll’s House” e qual uma peça onde alguém está enterrado na areia? “Dias felizes!” Meus pais me trouxeram para isso. Esse título soa tão familiar. Mas é uma peça (Samuel) Beckett que é horrível. Esta mulher está meio enterrada e contemplando o suicídio e então a cortina surge no segundo ato e ela está enterrada até o pescoço. Eu provavelmente tinha 9/10 anos. Eu acho que meus pais pensaram que seria bom. Não há peitoss ou qualquer coisa. Apenas uma mulher com uma crise existencial. Beckett para seus filhos.

Pergunta aleatória. Você viu “Crucible Cast Party” no “Saturday Night Live” em outubro? Você pode confirmar ou desmentir que é um retrato exato dos partidos de geeks do ensino médio em todos os lugares?

Eu definitivamente fui a uma dessas festas de fantasia em um top de lantejoulas e pensei que eu era o homem. E sim, era definitivamente uma daquelas festas onde as luzes estavam acesas e estávamos comendo batatas fritas e havia um rumor de que alguém estava indo trazer pot brownies. O que acabou por não ser verdade. Sim, esse esboço era estranho.

Você é faz muito auto-apagamento  em “Scrappy Little Nobody”. O que você tem de mais humilde?

Definitivamente não sou a mais humilde. Tanto que eu tentei evitar, tentei para me ter uma boa aparência. Este é o minha mais patética tentativa de ser honesto e dizer toda a verdade enquanto eu também tentar fazer um olhar fresco. Estou fora de brincadeiras. O meu cérebro está vazio agora.

 

Fonte: Portland Press Herald

 

 

 

Deixe um comentário

Visite nossa galeria