Anna Kendrick diz que atuar foi a forma que encontrou de aprender sobre as pessoas
Anna Kendrick Brasil
Melhor fonte sobre a atriz Anna Kendrick

Anna Kendrick diz que atuar foi a forma que encontrou de aprender sobre as pessoas

Quando pequena, Anna Kendrick era uma criança muito pequena, mas com uma voz potente. Quando ela tinha 6 anos de idade, ela começou a fazer teatro na comunidade que vivia e aos 12 anos ela foi para a Broadway – onde foi nomeada a um Tony Award pelo seu papel em High Society.

Ela conta a Terry Gross, “eu sempre me perguntei se eu cultivei uma grande voz intencionalmente – como um rugido para me afirmar em um espaço no mundo.”

Hoje em dia, Kendrick está utilizando sua grande voz para outros trabalhos. Seu livro Scrappy Little Nobody, é uma coletânea de dizeres com muito humor sobre sua infância em Maine e sobre sua carreira. (Sua filmografia inclui Trolls, Pitch Perfect e Up in the air – pelo qual foi nomeada a um Oscar).

Olhando seu passado, Kendrick diz que ela não consegue se lembrar de um período que levou sua carreira a sério. “Eu não sei dizer hoje o que eu pensava sobre minha carreira porque é muito possível que aos 6 anos eu só queria que as pessoas me vissem e prestassem atenção em mim,” ela diz. “Daí então meio que se transformou em algo que realmente significava pra mim…se tornou algo em que eu pude aprender sobre mim mesma e sobre outras pessoas.”

Sobre como ela conseguiu o papel de Natalie, em Up in the air:

Eu fiz teste. O bom e velho teste, você acredita? Mas depois que eu fiz o teste, eu descobri que o diretor havia escrito o papel pra mim depois de me ver em um filme independente chamado Rocket Science. Mas ainda assim eu tive que fazer o teste porque era um filme com George Clooney e era um roteiro incrível em um estúdio incrível, então acho que toda menina da cidade teve que fazer o teste. Eu percebi quando fiz o teste que eu já tinha sido aprovada pelo diretor. Eu estava tentando provar pra mim mesma que o estúdio estava querendo contratar alguém que não era famosa.

Sobre o desconfortável traje de negócios que ela teve que usar em Up in the air:

Nós precisávamos que ela aparentasse um pessoa séria, então eu tive que usar Spanx, um figurino super sério, o tempo todo e tive que usar camisas por dentro da saia. E para deixar a camisa super arrumadinha, eles grudavam um velcro nela, que passava pelo meio das minhas pernas. E isso me deixava muito desconfortável.

Sobre a música que fez sucesso em Pitch Perfect, “Cups”:

Eu lembro de estar gravando outro filme independente enquanto esta música ia subindo nas paradas. E eu estava em NY e eu estava dormindo no chão do porão de uma igreja em Harlem, onde estávamos gravando e entre as gravações recebi um e-mail do meu agente: “Esta música está entre as 10 mais da Billboard.” Eu me lembro de pensar em todos os outros artistas que estavam entre estes 10 mais que participaram do Good Morning America, performaram suas músicas, promoveram seus singles e fizeram video clipes, estavam tipo: “O que diabos está acontecendo? O que realmente aconteceu?…”

Eu acredito que este será pra sempre um dos maiores choques da minha carreira. Foi tão legal e muito incrível o fato de que realmente aconteceu – foi tão verdadeiro – foi realmente muito gostoso tudo aquilo.

Sobre como o Velho Testamento a assustou quando criança:

Quando criança você ouve passagens do Velho Testamento e você acaba absorvendo e ficando um pouco aterrorizada com isso. E eu me lembro dos meus pais muito chocados quando eu contei pra eles que eu tinha medo e eu iria para o inferno porque éramos Episcopais e eles pensaram que eles tinham me criado em um mundo saudavelmente religioso. Mas eles não consideraram o fato de que eu, claro, não conseguia simplesmente bloquear o que eu estava ouvindo sobre o Velho Testamento…

Eu lembro que tinha algo do tipo: “é mais fácil para um camelo passar por um buraco de uma agulha do que um homem rico entrar no Mundo dos céus.” E naquele momento porque…meu irmão e eu tínhamos cada um seu próprio quarto e tínhamos uma garagem, eu pensei: “Bem, somos nós. Nós somos ricos e nós precisamos doar tudo, caso contrário nossa familia vai toda pro inferno.”

Minha mãe riu sobre eu falar que éramos ricos e me explicou que tudo iria ficar bem. Mas eu ainda não conseguia conciliar: “Mas diz isso! Tá escrito ali!” Como criança, eu penso, você é totalmente crente do que a Bíblia diz a você e você não fez as decisões que seus pais fizeram sobre quais partes você vai escolher e fazer literalmente.

FONTE: WBur

Deixe um comentário

Visite nossa galeria